top of page

Como lidar com as mudanças?

Para quem me conhece ao menos um pouquinho, sabe que eu sempre uso a expressão “Recalculando a Rota”.


Precisar se reinventar foi (e ainda é) uma constante necessidade na minha vida. Isso porque eu acredito muito que mudanças nos revigoram. O meu maior medo sempre foi cair no piloto automático, nunca me arriscar em algo novo.

Além da pandemia, vivemos um momento de desaceleração da economia em vários setores. Isso, aliado às profundas transformações em nossa sociedade, frutos do distanciamento social, criou profundas mudanças nos modelos tradicionais de negócios. Consequentemente, cada vez mais, o mercado busca profissionais que se adaptem rapidamente às mudanças.

Vias de regra, mudanças ocorrem de duas maneiras: por padrão ou por forte emoção. Nem preciso dizer que agora, elas estão ocorrendo por forte emoção, certo? Quando isso acontece, precisamos trabalhar um conceito muito importante: o de flexibilidade! Precisamos ser capazes de enxergar nosso potencial de ser mais do que cremos ser. Caso contrário, nos apegamos demais a hábitos ultrapassados e viramos obsoletas máquinas de dizer “mas antigamente era diferente”, que não realizam nada e só lamentam.

Mas Tati, mudar me assusta!

Eu sei, às vezes as mudanças assustam, ainda mais quando urgentes. Porém, praticar a adaptabilidade estimula o raciocínio, amplia nossa capacidade de tomar decisões e fortalece a resiliência. Como tudo, desenvolver esta habilidade é apenas uma questão de mudança de mindset e muita prática.

Esse é o momento de usar as suas soft skills, que são essenciais para o desenvolvimento de uma carreira, para se sobressair em meio a crise. A flexibilidade, a adaptabilidade, a empatia e a disponibilidade (e vontade) de querer entender novos segmentos, são as características dos profissionais que vão conseguir passar por esse momento, de altos e baixos, com muito mais bagagem positiva do que negativa.

Agora não é o momento de gastar energia resistindo às novas mudanças. É hora de abraçar as novidades que vierem, e aprender com elas. Afinal, não nos resta outra alternativa

Por onde começar?

Se permita exercitar a sua curiosidade novamente e redescobrir o que você gosta e não gosta. Experimente atividades novas, ou explore outros jeitos de fazer algo que já estava na sua rotina. O isolamento social tem nos afastado daquilo que pensávamos ser o essencial, e nos aproximado do que realmente é. Mergulhe aí dentro, e descubra uma nova pessoa, um novo profissional, capaz de fazer muito mais. Não é papo de coach (risos), mas tudo o que você precisa está aí dentro, use e abuse.

A maneira como sua mente aceitará a adaptação está ligada à sua capacidade de percepção. Entender que o mundo sempre está e sempre esteve em transformação, mesmo antes da pandemia, mesmo antes de você nascer, mesmo antes da humanidade ou da própria vida na Terra, é essencial para que você aceite as transformações e se adapte, afinal, se nada nunca se transformasse, a Terra ainda seria a inabitável bola de fogo que era há 4 bilhões de anos.


7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page