top of page

VOCÊ É GERENTE OU LÍDER? POR QUE NÃO OS DOIS?

Atualizado: 21 de jul. de 2022

Não importa se você é um empreendedor, alguém a frente de uma equipe ou somente administra sua carreira. A frase de Peter Drucker é real e eficaz para todas as situações: “Gerenciar é fazer as coisas do jeito certo; liderar é fazer as coisas certas”.




Liderança é a habilidade de influenciar um grupo para se alcançar objetivos. Tem a ver com fazer com que as pessoas entendam e acreditem na sua visão e fazer com que trabalhem com você para alcançar seus objetivos.


Gestão é o conjunto de processos que mantêm uma organização funcionando. Gerenciar está ligado às tarefas, aos processos, à administração do tempo para fazer as coisas acontecerem do jeito certo.


Stephen Covey diz que “a eficácia, e muitas vezes a sobrevivência, não depende apenas de quanto esforço se faz, e sim se estamos realizando este esforço no lugar certo”. Por isso a importância da liderança.


Liderar é relacionar-se, ajudar, servir, avaliar as pessoas de uma maneira positiva, despertar o melhor de cada um. O gerenciar está voltado para as tarefas, prazos, projetos e resultados. O líder é aquele que “lidera” as pessoas que vão gerar esses resultados. O liderar e gerenciar andando juntos geram excelentes resultados não só para a organização, mas também na vida pessoal e profissional do indivíduo. Um agrega valor ao outro.


Os negócios e as equipes não funcionarão bem se apenas o papel do gerente for realizado eficazmente, ou seja, o seu trabalho de controlar os resultados. Isto, porque se as pessoas que vão executar não estiverem motivadas e comprometidas com suas tarefas e com os objetivos da organização, terão retrabalho e baixa produtividade. O sucesso no gerenciamento não compensa o fracasso na liderança. Daí a grande importância de desenvolver a sua liderança.


Um bom líder faz com que a pessoa se sinta no centro, e não na periferia da equipe. Cada colaborador sente que faz a diferença para o sucesso da organização. Quando isso acontece, as pessoas se sentem centradas e isso dá sentido ao seu trabalho.


Por outro lado, uma liderança efetiva, com uma equipe comprometida, motivada e com um bom clima organizacional, necessita realizar corretamente os controles internos, operacionais e a análise dos dados. Problemas nos processos internos comprometem a viabilidade do negócio, gerando prejuízos e atingindo a todos.


Para dar mais um passo para ser um líder efetivo, você deve estar atento a visão, integridade, construção de equipe, comunicação, inspiração, aprendizado contínuo, humildade, construção de relacionamento, tomada de risco, recompensa e reconhecimento. Mas isto é assunto para outros artigos.


Acredito ser importante terminar com uma reflexão pessoal. Levando em conta essa diferenciação, pense em sua vida e responda: você tem sido gerente ou líder da sua vida? E em relação a sua carreira? No seu trabalho, não importa se você é empreendedor ou intraempreendedor? Quer se tornar o líder protagonista da sua história, deixando uma boa marca por onde passar?


As mudanças que ocorrem hoje nas diversas áreas de nossas vidas, principalmente no âmbito profissional, requerem primeiramente a liderança, depois, o gerenciamento. É importante termos uma bússola, sabermos a direção certa (liderança), e depois analisar, avaliar dados e fazer o que for necessário para chegar lá (gerenciamento).


Essencial é que cada um, “pessoa física”, seja líder e gerente de si mesmo, da sua vida. É fundamental que o foco seja “fazer primeiro” o que é mais importante. Aqui entra a disciplina e vontade de fazer o melhor. Neste caso, GERENCIAR os atos, comportamentos e resultados. No entanto, é preciso, também, ter em mente “o que é mais importante” para estar na direção certa; assim, sendo LÍDER da própria vida rumo aos seus objetivos alinhados aos próprios valores.


Édila Souza é Educadora Executiva e colunista da Gente Mais

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page