top of page

O Líder, a Gestão e os seus efeitos junto aos colaboradores.

Dizem que liderar é fácil, Será? Tenho visto nos trabalhos que presto em Transição de Carreira ou como Head Hunter, que muitos profissionais reclamam de que não estavam satisfeitos com o seu Líder e a sua Gestão.


Os comentários vão desde injustiças, cobranças indevidas no trabalho, desrespeito, ausência de diálogo, soberba, orgulho, vaidade, falam muito e recusam-se a ouvir, intolerantes, sem paciência, exigentes em demasia e pouco preocupados com a qualidade de vida no ambiente de trabalho.


Normalmente a promoção para uma posição de Liderança deve vir acompanhada além do conhecimento técnico e de formação acadêmica, também do preparo e maturidade do líder para lidar com o grupo de colaboradores que muitas vezes é acolhedor e outras, nem tanto, pois algumas equipes são críticas, contundentes, exigentes e, se o Líder não tiver condições e respaldo poderá enfrentar problemas em sua Gestão. Muitos Líderes são promovidos pelo conhecimento técnico, resultados obtidos em sua trajetória ou pela sua formação acadêmica, porém deixar de lado o comportamento (personalidade) é incorrer às vezes em desarmonias e não em harmonias. Algumas avaliações que a área de Recursos Humanos fornece, podem auxiliar em muito a identificar/detectar situações problemas que podem determinar seu acesso ao cargo de LÍDER ou não.


Uma promoção correta e amparada pela avaliação do RH, tende a apoiar o Líder enquanto período de transição desde que não sejam relevantes, permitindo que a sua liderança promova ambientes sadios, humanos e solidários que contribuirão para o atingimento de metas e resultados. Caso a promoção seja realizada sem o amparo e as devidas preocupações já citadas, poderá ocorrer, insatisfação do grupo, pouca contribuição, clima instável e, principalmente, a falta de motivação para com o trabalho, gerando preocupação com o lado emocional de todos os envolvidos.


Problemas como ansiedade, pânico, estresse, depressão tem sido relatados e merecem uma atenção especial antes que se tornem graves. Não há dinheiro que pague a sua liberdade, equilíbrio, tranquilidade, satisfação em ir para o trabalho FELIZ e alegre, sabendo que os seus esforços serão reconhecidos e recompensados por uma Liderança que é participativa, acolhedora, humana e que se considera mais um na equipe independente do cargo que ocupa. Sempre tive Gestores que me deram liberdade, apoio, resultados a serem alcançados, estruturas e que estavam à disposição para me orientarem nos momentos de indecisão ou necessidade. Fui privilegiado, não nego. Acredito que um bom diálogo e não a aceitação de comportamentos fora do padrão, possam permitir um ajuste nas relações entre o Líder e o seu Grupo. Vale a pena tentar.



Pedro Morbach é Head e Job Hunter, Diretor da Pedro Morbach Treinamento e Eventos, Palestrante Motivacional e colunista do Gente Mais Portal.


33 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page