top of page

Team Building: Como podemos resgatar a energia vital de um time?

Todos nós já passamos por momentos em nossas vidas mais ou menos motivados. As vezes a rotina do dia a dia pode se tornar desgastante e isso pode provocar em nós queda de performance. Por isso buscar maneiras de tentar amenizar esses sentimentos, principalmente quando é possível perceber esse desestimulo vindo de mais integrantes de uma mesma equipe, é essencial para o sucesso de qualquer organização.


Para começar é importante compreender que este estado é totalmente reversível, e que existem ferramentas que são capazes de reaver a motivação de pessoas e equipes, por meio de interação e empatia.


Em minha opinião o Team Building é uma ótima solução para estimular tal sentimento. Mas o problema está na falta de acreditação que muitos profissionais de desenvolvimento possuem quando se deparam com tais soluções.


O Team Building é um tipo de treinamento realizado em formatos indoor e outdoor, onde as atividades facilitam a interação e cooperação dos participantes num contexto descontraído, positivo e envolvente. Foca o aprendizado através de experiências ao invés de conhecimento, com o propósito de engajar e divertir os participantes. E por ter como base desenvolver através de experiências e diversão, geralmente provocam duvidas quando a sua eficácia.


O Team Building oferece vários aprendizados, entretanto um dos principais, está ligado a oportunidades que visam a melhora do autoconhecimento, que é essencial para o progresso individual dos integrantes de um time. Mas por muito tempo, as empresas entenderam que essa responsabilidade não era delas.


Sabemos que as pessoas possuem perfis comportamentais diferentes, e que conhecer e respeitar as individualidades contribuem para o sucesso de uma equipe de trabalho. E se pensarmos no momento que estamos vivendo, se torna ainda mais indispensável as empresas investirem no autoconhecimento de seus times


Vivemos um período em que as alterações às nossas rotinas acontecem a um ritmo acelerado. Por isso não definir estratégias que potenciem o bem-estar das pessoas, pode significar o investimento do dobro do tempo e de energia, em medidas corretivas.


Solidão | Desmotivação | Falta de produtividade e interrupções | Excesso de trabalho | Desentendimentos | (Des)Hábitos de Saúde |


Podem consumir o time ao longo do caminho e se tornar irreversíveis a médio e longo prazo.


Mas eu sei, que para muitas organizações esta não está sendo a prioridade. A prioridade é cortar custos, realocar pessoas e....e não temos muitas ações que encorajem as pessoas a continuarem acreditando no futuro, e por isso muitas empresas estão simplesmente em modo hibernação.


A provocação é: Quanto tempo será que elas aguentam ficar paradas?


A vida não está em “pausa”, por isso, precisamos questionar o status-quo e nos perguntar: O que podemos fazer?


Vou dar três exemplos práticos de como você pode mexer com sua equipe e tirá-la do piloto automático, de forma construtiva e divertida:


1. Torre de Marshmallow: o desafio é construir uma estrutura independente mais alta possível, ligada por conexões de Marshmallow.


Separar os participantes em grupos. Dar um tempo de 3 minutos para que ergam a maior torre de Marshmallow. Você irá medir com uma trena ou algo do tipo a torre ao final do tempo.


Este jogo ajuda a incentivar a criatividade e a visão estratégica, além de envolver o time numa competição divertida.


2. Duas verdades e uma mentira: a ideia é convencer os outros de que sua mentira é realmente uma verdade, enquanto, por outro lado, você tenta adivinhar as verdades/mentiras de outras pessoas fazendo perguntas.


Cada membro da equipe deve anotar secretamente duas verdades e uma mentira sobre si mesmo em um pequeno pedaço de papel, sincronamente. Uma vez que cada pessoa tenha concluído este passo, permita 10-15 minutos para uma conversa aberta na qual todos se interrogam em suas três perguntas.


Após o período de conversação, cada membro da equipe fala sobre cada uma das suas três afirmações e ao final abre-se uma votação em grupo sobre qual afirmação pensam ser a mentira.


Este jogo ajuda a incentivar uma melhor comunicação entre o time, além de permitir que conheçam melhor os colegas de trabalho.



3. A queda dos ovos — essa atividade de resolução de problemas complicados exige construir um pacote de ovos que pode sustentar uma queda de um metro.


Uma variedade de ferramentas e outros materiais podem ser usados e é sugerido que façam o planejamento em Equipes, usando os recursos disponíveis naquele momento.


Depois que os pacotes forem construídos, cada equipe deve apresentar um anúncio de 30 segundos para o pacote, destacando porque é único e como funciona.


Na conclusão das apresentações, cada grupo terá que soltar o ovo usando seu pacote para ver se ele realmente funciona.


Além de ensinar os grupos a trabalharem juntos e se comunicarem de forma assertiva, ele também os reúne com o objetivo comum de criar com sucesso uma solução, até o momento improvável.



A questão aqui não está na dinâmica, mas sim no motivo por trás da dinâmica. Seja criativo, provoque seu time a pensar fora da caixa. Seja divertido e ofereça a eles momentos de descontração junto com desenvolvimento.

Acredite, vale a pena!


Tatiane Souza CEO Gente Mais Consultoria e Treinamento e Fabrika Produções e Eventos. Fundadora e presidente do instituto Muito Além de Cinderelas e colunista do Gente Mais Portal.

12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page